A Tassat será capaz de lançar swaps de Bitcoin, diz CFTC

A fintech deveria restabelecer seu registro da CFTC após 12 meses sem negociação, mas não terá que enfrentar uma ação de execução.

A Commodity Futures Trading Commission dos EUA (Comissão de Negociação de Futuros de Commodities) ainda permitirá que a Tassat, fintech sediada em Nova York, prossiga com seus contratos de swap de Bitcoin, mesmo após não cumprir os requisitos regulatórios.

De acordo com uma declaração de 15 de setembro da Divisão de Supervisão de Mercado (DMO) da CFTC, o órgão regulador não impedirá a Tassat de lançar um mecanismo de execução de swap (SEF) no quarto trimestre de 2020, mesmo depois de a empresa não ter renovado seu registro após 12 meses sem negociação.

“A DMO não recomendará que a CFTC inicie uma ação de execução contra a Tassat por não ter restabelecido seu registro SEF”, afirmou a DMO. A decisão do órgão regulador se estende a Tassat listar contratos de swap Bitcoin (BTC) certificados e participantes que negociam os contratos.

Depois de se inscrever para se tornar uma exchange de derivados cripto regulamentada pelo CFTC em novembro, a Tassat não conseguiu lançar sua bolsa de swaps em 1º de agosto, quando o órgão regulador rotulou a empresa como “inativa”. A Tassat alegou que o descuido se deveu a atrasos causados pela atual pandemia e pediu para que não precisasse requerer novamente o seu status de SEF.

A decisão da CFTC concede à Tassat isenção dos requisitos de reintegração e a aproxima de lançar uma exchange de derivados cripto com supervisão regulatória completa. A fintech esperaria listar derivativos BTC entregues fisicamente para investidores institucionais a partir do quarto trimestre de 2020.

A Tassat não respondeu ao pedido da Cointelegraph para comentar o assunto até o momento da edição deste artigo.

Você pode gostar...