Livecoins

Criptomoedas no Japão, Foco na Terra do Sol Nascente!

O Japão hoje é um centro de referência no mercado de criptomoedas. E esse título ao país deve em parte a um ex-prisioneiro americano.

BITCOIN JESUS

Em 2002, Roger Keith Ver, nascido no Silicon Valley, foi detido nos Estados Unidos por vender explosivos no Ebay, condenado a 10 meses de prisão. Autodeclarado anarco-capitalista, se mudou para o Japão, descobrindo o Bitcoin no começo de 2011 e chamando a moeda de “a mais importante invenção na história do mundo desde a internet”[1].

Daí em diante, Ver trabalhou diretamente com diversas startups e os mais variados projetos envolvendo blockchain, passando a ser conhecido como “Bitcoin Jesus”. Seu suporte financeiro foi relevante também para projetos populares envolvendo essa criptomoeda, sendo um dos primeiros investidores na BitInstant, empresa fundada pelo bilionário do Bitcoin e colega ex-condenado Charlie Shrem.

Posteriormente, Ver começou a se relacionar em Tóquio com Mark Karpeles, então dono da maior bolsa de bitcoins do mundo na época, a Mt. Gox, transferindo sua sede para a capital japonesa.[2]

GOVERNO JAPONÊS À FRENTE

Desde então, o interesse do governo japonês pela moeda digital só aumentou. Mais recentemente, em abril de 2017, o Bitcoin foi declarado oficialmente como método legalizado de pagamento no país.

Em setembro de 2017, a Agência de Serviços Financeiros do Japão (FSA em inglês) reconheceu oficialmente 11 empresas como operadoras de troca de criptomoedas registradas. O registro coloca vários requisitos para as empresas, como a construção de um sistema de computador forte e a verificação da identidade dos usuários para evitar a lavagem de dinheiro. Essas regulamentações visam proteger os investidores contra fraudes e outros abusos, apoiando a inovação tecnológica financeira.

Já em outubro de 2018, a indústria de criptomoedas no Japão passou a se autorregular mediante uma associação criada por 16 exchanges, chamada de Associação Virtual de Câmbio do Japão (JVCEA em inglês), que atuará em parceria com o governo japonês. Essa necessidade veio principalmente após dois grandes roubos em plataformas de negociação de criptomoedas (em janeiro de 2018, desapareceram U$ 534 milhões da Coincheck; em setembro do mesmo ano, foram U$ 250 milhões da Zaif),

Em dezembro também de 2018, foi anunciado que a FSA está considerando colocar as criptomoedas em uma nova categoria legal, chamada “cripto-ativos”. Classificando as criptomoedas, como Bitcoin, desta maneira, o governo espera que não as comprem mais acreditando que são moedas oficiais do país, apesar do reconhecimento pelo governo de sua legalidade.

IMPORTÂNCIA INQUESTIONÁVEL

O Japão é um país importante para aqueles que pretendem investir em criptomoedas ao nível internacional. Tendo sido um dos primeiros a reconhecer a sua legalidade, e diante do avançado estágio de debate sobre o tema no país, vale a pena uma atenção especial aos acontecimentos na Terra do Sol Nascente.

[1] REIFF, Nathan. Who Is Roger Ver, aka “Bitcoin Jesus”? 10 out. 2018. Investopedia. Disponível em https://www.investopedia.com/tech/who-roger-ver-bitcoin-jesus/ Acesso em 19 fev. 2019.

[2] NAKAMURA, Yuji. Enquanto o mundo reprime, Japão vira paraíso das criptomoedas. 10 abr. 2018. Blommberg. Disponível em https://economia.uol.com.br/noticias/bloomberg/2018/04/10/enquanto-o-mundo-reprime-japao-vira-paraiso-das-criptomoedas.htm Acesso em 19 fev. 2019.

Saiba mais em Criptomoedas no Japão, Foco na Terra do Sol Nascente!